10 Dicas imperdíveis sobre o que ver e fazer em Turim

Torino_veduta_dai_cappuccini_mole

Tenho uma paixão por Turim, é uma cidade que, de algum modo, esteve ligada a diversas fases da minha vida. Apesar de viver na Sicília, no extremo oposto do país, sempre que tenho uma oportunidade, vou a Turim para ver coisas novas e rever as belezas da cidade denominada Pequena Paris.

A cidade é chamada assim pelo charme de suas praças, monumentos e cafés históricos que testemunham um passado muito rico e glorioso. Por muito tempo, Turim foi a capital do Ducado dos Saboia e, após a unificação do país, também capital do Reino da Itália.

Turim é uma das cidades mais alternativas da Europa, capaz de se reinventar depois do final de uma longa era industrial. Uma nova geração transformou a antiga cidade-fábrica em um dos mais avançados cenários musicais, gastronômicos e artísticos da Itália. É uma cidade que não entra nos circuitos tradicionais que o brasileiro que vem para a Itália geralmente escolhe, mas sem dúvida alguma merece a sua visita.

 

1 – Ver a cidade do alto da Mole Antonelliana

A Mole Antonelliana é o símbolo de Turim e com seus 167,5 m de altura, pode ser vista de vários pontos da cidade. Devo dizer que me emocionei a primeira vez que a vi. Dobrei em uma rua e eis que me deparo de frente com ela, com toda a sua majestosidade. Em italiano a palavra “Mole” significa construção grandiosa e maciça. O resto do nome deriva do nome do arquiteto que a projetou, Alessandro Antonelli.

O que ver em Turim: Mole Antonelliana

Linda a Mole Antonelliana à noite!

O interessante é que a Mole foi comissionada pela comunidade hebraica de Turim e deveria ser uma sinagoga. No entanto, o valor das despesas de construção aumentou muito e, por isso, a comunidade hebraica não teve mais condições de pagar, tendo repassado a propriedade à Prefeitura de Turim. No final das obras, em 1889, a prefeitura decidiu que a Mole não seria mais uma sinagoga e sim um Museu do Ressurgimento Italiano.

Nos anos 60 foi construído o elevador panorâmico que nos leva até uma altura de 85 metros. Lá de cima é possível desfrutar de um panorama lindíssimo da cidade e dos Alpes. O elevador funciona das 9 às 20h (sábado vai até as 23h) e não abre às terças-feiras. O valor do ingresso inteiro só para subir é de 7 euros. Quando estive lá me assustei um pouco com a fila que chegava na calçada, mas até que andou rápido e não esperei muito.

O que ver em Turim: Mole Antonelliana

O visual lá de cima. É possível ver a cidade a 360º!

Na base da Mole Antonelliana funciona o Museu do Cinema e o combo elevador + museu fica por 14 euros.

 

2 – Passear na Piazza Castello

Coração do centro histórico de Turim, é na Piazza Castello que estão situados os principais monumentos da cidade, desde aqueles medievais, aos renascentistas e barrocos. Também é lá que estão o Palácio Real (os apartamentos e a armaria real podem ser visitados), o Palazzo Madama (lá dentro funciona o Museu de Arte Antiga e nele está exposto uma das obras-primas de Antonello da Messina), a Catedral, etc.

Aproveite, fure a fila e compre aqui seu ingresso para o Palazzo Madama!

O que ver em Turim: Palácio Real

Palácio Real na Piazza Castello

Os católicos podem aproveitar e visitar a Catedral, onde está exposta uma cópia do Santo Sudário. Somente em ocasiões especiais, o original é exposto aos fiéis. A última vez que isso aconteceu foi entre abril e junho deste ano e durante este período, o Santo Sudário foi visto por mais de dois milhões de pessoas.

 

3 – Visitar o Museu Egípcio

O Museu Egípcio de Turim, com seus 10.000 metros quadrados e cerca de 3500 repertos arqueológicos, é o mais antigo do mundo e o mais importante depois daquele do Cairo. O itinerário da visita se desenvolve em bem 2km nas salas do palácio da Accademia delle Scienze, ao longo dos quais é possível admirar tumbas, múmias, sarcófagos, estátuas, objetos de culto e de uso pessoal da época do Antigo Egito.

O que ver em Turim: Museu Egípcio

Estátua central na Galeria dos Reis do Museu Egípcio de Turim.

O que ver em Turim: Museu Egípcio

Depois de cinco anos em reforma, o museu foi reinagurado em abril deste ano. O Museu Egípcio é um dos museus mais incríveis que já visitei aqui na Itália e só ele já vale a inteira visita a Turim. Funciona todos os dias, das 8h30 às 19h30 (às segundas somente até as 14h) e o ingresso custa 13 euros.

 

4 – Dar um pulinho na Basílica de Superga

A Basílica de Superga, no alto das colinas nos arredores de Turim, é visível em muitos pontos da cidade. De lá, em dias sem névoa, se tem uma linda vista para a cidade. A basílica barroca é obra do arquitero Filippo Juvarra, o mesmo que projetou os principais edifícios históricos da cidade. É possível visitar a igreja e as suntuosas tumbas da família real dos Saboia.

O que ver em Turim: Basílica de Superga

A Basílica de Superga também é conhecida por evento triste. Em 1949 o avião que trazia o super time do Torino, o qual voltava de um amistoso em Lisboa contra o Benfica, chocou-se contra a fachada da basílica. Todos perderam a vida e hoje há uma lápide que indica o ponto onde ocorreu a tragédia.

Uma dica: dá para subir até Superga com os antigos bondinhos. Lembra um pouco aquele que sobe até o Cristo Redentor, no Rio, é uma viagem bem legal. Os bondinhos partem da estação Sassi e o bilhete de ida e volta custa 6 euros. Veja mais informações sobre os horários aqui.

 

5 – Visitar o Museu do Automóvel

A cidade natal da Fiat não poderia que ter um museu do automóvel de alto nível, não é? O Museu do Automóvel de Turim é tão interessante, que nem precisa ser um apaixonado por carros para visitá-lo (eu, por exemplo, não sou e amei!).

Durante o percurso, estão expostos desde o primeiro modelo de carro a vapor até os carros de Fórmula 1 de hoje. Todos eles são caracterizados por cenários que ilustram a época de cada um, o que torna a visita ao museu do automóvel bastante divertida.

O que ver em Turim: Museu do Automóvel

O Museu do Automóvel de Turim funciona às segundas, das 10 às 14h, às terças, das 14 às 19h, às quartas, quintas e domingos, das 10 às 19h, às sextas e sábados, das 10 às 21h. O ingresso inteiro custa 12 euros.

 

6 – Restaurar as energias no Parque do Valentino

Tive a sorte de visitar o Parque do Valentino em três estações do ano diferentes: no outono, na primavera e no verão. As cores do parque no outono eram incríveis, na primavera era super florido, com tulipas em todos os lugares. Mas foi mesmo no verão que o vi cheio de vida, com famílias fazendo piquenique, gente andando de bicicleta, fazendo canoagem, até mesmo mulheres tomando sol de biquíni no gramado. É um passeio que realmente recomendo. O parque do Valentino é aquele tipo de lugar que todo mundo queria ter na própria cidade!

Uma coisa interessante é que dentro do parque há um burgo medieval – de mentira, porque ele foi construído no século XIX –mas um burgo muito bem feito. Há casas, bodegas, reproduções de artesanato da época, enfim, demonstram como se vivia na Idade Média. Somente em uma parte do burgo a visita é gratuita, mas para conhecer uma residência nobre da época (chamada Rocca) com seus móveis, armas da época, tudo reproduzido fielmente, é necessário pagar um bilhete de 6 euros, mas vale a pena.

O que ver em Turim: Burgo Medieval

Uma parte do burgo medieval

O burgo medieval tem horário de funcionamento. Ele fica aberto todos os dias, das 9 às 19h (até as 20h entre fim de março e outubro). Saiba mais sobre o burgo medieval aqui.

 

7 – Esbaldar-se com os chocolates “gianduia”

Era uma vez um bloqueio europeu ao cacau imposto por Napoleão. Como quem não tem cão, caça com gato, os mestres chocolateiros de Turim decidiram substituir o cacau por farinha de avelãs torradas, criando essa maravilha de chocolate chamada Gianduia. Não há uma vez sequer que eu vá a Turim e não volte com um carregamento de “gianduiotti” (chocolatinhos giuanduia) feitos artesanalmente por uma das confeitarias tradicionais da cidade (não vale aqueles do supermercado!).

Um dos melhores da cidade são os chocolatinhos do mestre chocolateiro Guido Gobino. Eles podem ser encontrados na chocolateria situada na Via Lagrange, nº 1.

 

8 – Tomar um sorvete de gianduia no Café Fiorio

Para mim, Turim é, indiscutivelmente, a capital do gelato na Itália. O Café Fiorio é um das mais antigos e tradicionais da cidade e faz um sorvete sabor “gianduia” imbatível. Já tentei outros sabores, mas nenhum o supera simplesmente porque não parece sorvete, mas sim puro chocolate derretido e gelado. Não sei explicar, só sei que vocês têm que experimentar! O Café Fiorio fica na Via Po, nº 8.

A famosíssima Grom também nasceu em Turim.

 

9 – Degustar um Bicerin

Turim é uma cidade muito fria no inverno, afinal estamos nos pés dos Alpes. E qual melhor bebida para nos esquentar que um chocolate quente? Resposta: o Bicerin.

O Bicerin é reconhecida como a bebida tradicional do Piemonte e é composta de somente três ingredientes: café, chocolate e creme de leite.

Foto: WikiCommons

Foto: WikiCommons

Não confundam a inocente bebida quente com o licor que possui o mesmo nome. Bicerin também é o nome de um licor de chocolate gianduia, que por sinal é delicioso e também ajuda a esquentar a garganta! 🙂

 

10 – Passear ao longo do rio Po

A pé ou de bicicleta, passear ao longo do rio  Po é uma das clássicas coisas a se fazer em Turim. Você pode começar a partir da Ponte Vittorio Emanuele, aproveitando para observar a Igreja da Gran Madre. Uma ótima pedida também pode ser fazer um aperitivo na Piazza Vittorio Veneto, lugar onde estão alguns dos principais cafés e lounge bar da cidade.

O que ver em Turim: Rio Po

 

Turim é uma cidade encantadora, com um dos mais incríveis polos de museus da Itália. Há muita coisa para se fazer por lá, eu citei apenas dez. Os apaixonados por cinema não devem deixar de ir no museu do cinema, os fãs do futebol não podem perder a visita ao estádio da Juventus. Enfim, há atrações para todos os gostos e bolsos. Turim é uma cidade eclética, moderna, charmosa e não é a toa que ela é a Pequena Paris!

Como chegar a Turim

É possível ir, por exemplo, de Milão a Turim em aproximadamente uma hora com os trens velozes Freccia Rossa ou em 2h com os trens Regionale Veloce. Clique AQUI para ver os horários dos trens e/ou adquirir seus bilhetes, independentemente da cidade de onde você está saindo.

Fonte: italiaparabrasileiros.com

Deixe uma resposta

Nota: Os comentários neste website refletem as opiniões de seus autores e não necessariamente a opinião dos editores do Temporadas.Net. Pedimos que não use de insultos, palavrões e expressões vulgares. Reservamo-no o direito de excluir qualquer comentário sem prévio aviso.

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*