Itália com crianças pequenas: dicas para viajar tranquilo

kids-aeroporto-725x483

Quando a gente programa uma viagem com bebês e crianças, mil dúvidas passam pela nossa cabeça: “vale a pena viajar com crianças pequenas para a Itália? que tipo de serviços vou encontrar? a Itália é um país kids friendly? As crianças vão aproveitar a viagem?”. Aqui você vai encontrar dicas para viajar tranquilo!

Eu moro na Toscana há 11 anos; tenho uma filha de 4 anos e outra de 2 anos. Para ajudar as mamães e papais viajantes, preparei um artigo com as minhas impressões sobre a Itália com crianças.

Carrinho de bebê: dá para usar? vale a pena levar?

Eu uso muito carrinho de bebê aqui na Itália e ficar sem carrinho dificultaria muito a minha vida. Para ajudar outras mães como eu,  escrevi um guia dos melhores carrinhos de bebê para viajar. Se você pretende comprar um carrinho na Itália, não deixe de ler.

A Itália é cheia de cidades históricas, com uma arquitetura às vezes milenar, e existe uma grande preocupação em manter os edifícios antigos e ruas o mais próximo do original possível mesmo quando são restaurados e adaptados à vida moderna. Aliás, talvez esse seja um dos motivos que façam da Itália um lugar tão especial: aqui você pode ver a história da humanidade, visto que a Itália foi palco de acontecimentos importantes na história do mundo ocidental.

Um passeio à noite em Florença com minhas filhas Gaia e Aurora
Um passeio à noite em Florença com minhas filhas Gaia e Aurora

Nas ruas:  você pode encontrar calçadas estreitas nos centros históricos, especialmente de cidades medievais (que até são suficientes para um carrinho simples, já carrinhos duplos horizontais tem mais dificuldade). O pavimento muitas vezes não é lisinho, como nas calçadas contemporâneas, mas dá para andar tranquilamente. E muitas vezes se você andar na rua ninguém vai achar ruim, porque estão habituados (obviamente, com bom senso).

Nos museus nem sempre é possível passear com carrinhos de bebês, às vezes você será obrigada a deixá-lo em um depósito na entrada ou mesmo perto do porteiro, sem nenhum guarda-volumes especial. Nas primeiras vezes eu fiquei louca da vida com isso, porque minha filha bebê estava dormindo, e queria justamente aproveitar para passear enquanto ela dormia, mas não deixaram. O ideal é que você se informe antes se é possível passear no museu com carrinho e se não for das duas uma, ou você tira o museu do seu roteiro de viagem ou pode se adaptar, quem sabe levando uma faixa porta bebê para não ficar tão cansada (afinal, o bebê sempre pesa, especialmente quando tem 8, 9 meses…)

Nos shopping centers e outlets tudo é mais fácil: estacionamento, pavimento lisinho e tudo construído à medida de família. Mais kids friendly impossível! 🙂

Quer comprar um carrinho de bebê na Itália? Você pode pesquisar preços de carrinhos novos online  (“passeggino” no singular ou “passeggini” no plural) na Amazon ou usados no Subito. Você também pode ir pessoalmente até algumas lojas grandes de produtos para infância na Itália como Io Bimbo, Ideal Bimbo, Bimbo StorePrenatal.

Veneza é um capítulo à parte: não existem ruas e calçadas como em uma cidade normal, mas canais e calçadas que se interligam através de pontes com degraus. Ou seja: se você levar carrinho vai ter que ficar subindo e descendo escada, super complicado, não vale a pena. Melhor usar uma faixa porta-bebês.

veneza-kids

Na praia: geralmente os beach clubs tem um acesso facilitado até as espreguiçadeiras com esteiras onde é razoavelmente fácil chegar com carrinho de bebê. Eu sempre levo carrinho à praia porque criança gosta de rotina e se um dia eu tento colocar para dormir na cadeira de praia, amanhã se eu for para uma outra praia onde não tem a mesma cadeira, elas não vão conseguir dormir. Para resolver o problema habituei Gaia e Aurora a dormir no carrinho, então o carrinho vai para todo lugar. Inclusive no meio da areia. Sou um tipo razoavelmente aventureiro (meu marido até mais do que eu).

Nas estações de metrô e trens:  existem elevadores até as plataformas, mas não sempre. Por via das dúvidas, pergunte!

Conclusão: traga o carrinho, ele vai ajuda muito, seja para os momentos de cansaço da criança como também para ajudar a carregar as diversas “tralhas”: bolsas com fraldas, troca de roupa, casacos e afins… Só em Veneza deixe o carrinho no hotel.

Carrinho duplo ou carrinho simples?

Se você tem duas crianças pequenas ou gêmeos pode ficar na dúvida se vale a pena trazer o carrinho com dois lugares ou dois carrinhos individuais. Aqui em Florença eu saio para passear com o carrinho duplo (em forma de trenzinho e não lateral), mas prefiro não viajar com ele porque é muito grande e ocupa quase todo o porta-malas do carro. Se o seu carrinho duplo também ocupar muito espaço no porta-malas é melhor evitar de trazê-lo. Opte por dois carrinhos simples, que são mais fácil de encaixar em qualquer lugar.

 

Trocadores e área kids

Uma coisa tão boba, mas que faz toda a diferença no conforto na hora de trocar uma fralda: os trocadores. Por alguma razão misteriosa a maioria dos restaurantes não tem! E olha que é um artigo tão baratinho, no Ikea custa uns trocados… Eu particularmente gosto de lavar minhas filhas com água e para completar alguns lugares não tem água quente na torneira (em pleno inverno!). Enfim, a melhor coisa é ir preparado.

Traga uma bolsa com tudo: paninho úmido, lencinhos de papel, uma toalhinha para colocar sob a criança e um saquinho plástico vazio para eventuais fraldas sujas.

Algumas vezes você vai ter que trocar a criança no meio da rua. Sim, já fiquei craque em trocar minha filha no meio da Piazza Duomo de Florença. Fazer o quê? Se ela fez um daqueles cocôs explosivos, não dá para esperar porque o desastre pode ser maior. Banheiro público na cidade quase não tem e se tem é à pagamento (eu não uso), geralmente quando dá entro em um bar ou uma loja de departamentos como La Rinascente ou Coin, mas às vezes tem fila ou não dá e vai na rua mesmo. Apoio a toalha em cima do carrinho, coloco a bebê e troco a fralda lá. Aliás o carrinho é o melhor trocador que pode existir na Itália.

Onde é fácil encontrar trocadores na Itália: em shoppings e outlets, nos trens de alta velocidade (geralmente tem só 1 ou 2 banheiros no trem inteiro), aeroportos (nem todos os banheiros tem, no desembarque do aeroporto de Florença por exemplo não tem, uma vez tive que esperar as malas 2 horas,  não tinha trocador para crianças na sala  e eu não podia sair para ir no banheiro com trocador porque tinha que esperar a mala), lojas de departamentos. Em restaurantes e museus depende.

Pergunte: “Scusi, c’è un fasciatoio qui vicino?”  (Por favor, tem um trocador aqui perto?)

Enfim, é preciso vir com a cabeça bem aberta nesse aspecto!


 

Parques temáticos na Itália

Na Itália existem os grandes parques temáticos para crianças como Gardaland (Verona), Mirabilandia (Ravenna) e Fiabilandia (Rimini). Esses parque são mais indicados nos meses quentes no ano na Itália (em geral entre junho e setembro), quando a temperatura é agradável e dá vontade de ficar em lugares abertos.

gardaland

Eu particularmente nunca levei minhas filhas nesses parques porque acho que ainda são pequenas para aproveitar e justamente porque são pequenas prefiro viajar para lugares que me interessam mais já que por enquanto elas topam o que nós queremos fazer desde que façamos algumas paradas em um simples escorregador, balanço ou carrossel espalhados por aí.


 

Lugares indicados para crianças pequenas

Onde pretendo levar minhas filhas em breve: no aquário de Gênova que está entre os maiores da Europa e criança pequena geralmente adora bichinho e peixinho.

E como elas gostam de bichinhos, qualquer zoológico é uma boa pedida. Aqui na Toscana já levei elas no Zoológico de Pistoia e no Zoológico de Poppi.

O ChiniLab com atividades para os pequenos nos fins de semana na Villa Pecori Giraldi (a 40 min de Florença)
O ChiniLab: atividades para os pequenos nos fins de semana na Villa Pecori Giraldi (a 40 min de Florença)

Também somos fãs das atividades da Villa Pecori Giraldi em Borgo San Lorenzo  (40 minutos de Florença) onde encontra-se o Museo Chini e acontece o ChiniLab: lá, nos finais de semana das 10-12,30 e das 15-18,30, existem salas com atividades para crianças (inclusive bebês) feitas a partir de material reciclado. Nos dias de chuva de inverno eram uma ótima opção!


 

Onde os italianos levam as crianças

Na Toscana,  entre maio e setembro os parquinhos das cidades ficam lotados. Basta um escorregador, um balanço, um gira-gira e você encontra várias mães com seus pequenos. Se tiver um jardim próximo, melhor ainda. Qualquer cidade da Toscana tem um parquinho.

Geralmente os shopping centers e outlets também tem parquinhos super legais. Na Toscana super recomendo dar uma passadinha no outlet de Barberino di Mugello, a poucos quilômetros de Florença. Lá tem uma área com escorregadores para crianças maiorzinhas e outro para as menorzinhas. Em frente à área de lazer tem um restaurante que também serve pratos kids com preços e porções reduzidas. A área é coberta e dá para aproveitar até quando chove, mas no inverno faz muito frio, precisa cobrir bem as crianças. Você pode ficar lá enquanto seu marido faz umas comprinhas (e vice-versa)!

Os escorregadores do outlet de Barberino di Mugello (Toscana): uma atração à parte
Os escorregadores do outlet de Barberino di Mugello (Toscana): uma atração à parte

Outro lugar bastante confortável é o Gigli, um shopping center em Campi Bisenzio, próximo a Florença. Existem dois parquinhos a céu aberto. E lá dentro tem também um trenzinho, uma área nursery com trocador, área para dar de mamar e esquentar mamadeira e algumas maquininhas elétricas à pagamento para crianças. Nos finais de semana fica lotado, mas durante a semana pode ser uma boa pedida para levar as crianças brincar e fazer umas comprinhas.

O parquinho em frente ao shopping Gigli, próximo a Florença
O parquinho em frente ao shopping Gigli, próximo a Florença

No centro de Florença, a atração principal é o carrossel da Piazza della Repubblica (toda vez que passo lá minha filha quer dar uma volta!).

carrossel-firenze
O carrossel na Piazza della Repubblica no centro de Florença

Na Toscana as bibliotecas públicas sempre organizam atividades especiais para crianças, especialmente aos finais de semana: dobraduras, desenhos, leituras, às vezes até teatro, atividade com argila… Em Florença a minha favorita é a Biblioteca Oblate.

Espaço de leitura e atividades infantis na Biblioteca delle Oblate em Florença
Espaço de leitura e atividades infantis na Biblioteca delle Oblate em Florença

Se você quer atividades em português, fique de olho nos eventos organizados pela Casa do Brasil em Florença: geralmente existem oficinais para crianças aos sábados com temáticas diversas. Fica em Florença no bairro de Novoli.

Também adoro:  Festival dei Bambini que acontece em abril, às vezes tem mostras temporárias em museus e igrejas históricas perfeitas para os pequenos. Levei minha filha na mostra Van Gogh Live com projeções das principais obras do artista e ela amou, especialmente porque a escolinha tinha feito vários projetos e brincadeiras com os quadros de Van Gogh. Foi lindo ver ela reconhecer e brincar com as pinturas do artista com menos de 3 anos de idade!

Já no sul da Itália reparei que é raríssimo encontrar parquinhos públicos. Em geral existem parquinhos com brinquedos à pagamento (em Palermo, na Sicília, por exemplo a melhor pedida é um passei no Giardino degli Inglesi). Quando a cidade tem praia é lá que as crianças brincam.


 

Os italianos gostam de crianças?

Essa é uma questão muito subjetiva, mas em geral na Itália mães com crianças pequenas tem prioridade, mesmo quando não está escrito: é uma coisa cultural.

Como o mundo também é feito de “distraídos” sempre que necessário eu peço prioridade para minha filha. Tem uma fila enorme no banheiro e minha filha de 3 anos precisa fazer xixi? Peço a gentileza de passar na frente. Quem tem criança dessa idade sabe que um minuto pode ser suficiente para ela não conseguir segurar o xixi. E, se por acaso a pessoa não entender, eu explico claramente.

Nos restaurantes tento chegar cedo no início do serviço, por volta das 19:00, e na hora da reserva peço um cadeirão (seggiolone). Seria agradável uma app que informasse se determinado restaurante tem trocador, né? Quem sabe algum leitor inventa algo do gênero.

Enquanto isso, a gente se vira e conta com o bom senso das pessoas -italianas, turistas ou simplesmente estrangeiros residentes na Itália.

fonte: www.brasilnaitalia.net

Deixe uma resposta

Nota: Os comentários neste website refletem as opiniões de seus autores e não necessariamente a opinião dos editores do Temporadas.Net. Pedimos que não use de insultos, palavrões e expressões vulgares. Reservamo-no o direito de excluir qualquer comentário sem prévio aviso.

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*